domingo, 12 de dezembro de 2010

REGRESSO ÀS ORIGENS




Para todos aqueles que não tenham oportunidade de se dirigir a Coimbra e à Galeria Minerva, aqui fica uma pequena amostra Virtual das 28 Telas expostas por mim, na Exposição "REGRESSO ÀS ORIGENS"

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Cinquenta Cores

Óleo sobre Tela - Tríptico de 3 x 40 x 80
Ter 50 é um marco, diria quase histórico. Metade de uma vida?? Naahhh. Em principio mais do que isso. Ter 50 como terei dentro de alguns minutos, é ter a oportunidade de ter conhecido pessoas importantes, e pessoas que para mim são importantes, porque se para uns é a mesma coisa, para mim há diferença.
Conheci pessoalmente e privei bons momentos após o 25 de Abril, com Mário Soares, Manuel Alegre, António Arnaut, Almeida Santos, e outros que me desculpem mas não recordo os nomes. Eram ou são ainda pessoas importantes na vida social Portuguesa, quase todos com provas dadas de sentido de estado e amor á pátria. Depois, há as pessoas que são realmente importantes para mim, que não sendo ninguém na vida social Portuguesa, são aquelas de quem obviamente não me esqueço e que realmente contam.
Neste virar de página, 50 anos volto a repetir são um marco, queria deixar um abraço a algumas pessoas que não vejo há muitos anos, e que todos eles estão já também nos 50. Amigos de infância, do jogo de bola na rua: Carlos e irmãos Gaspar, Pedro Pontes, Luís Garção da Brigada Victor Jara, José Alberto, Clarinha, Zita Baptista, Judite, Nanã e a Lídia amigos do peito, tantas horas juntos e tanta saudade de vocês, Paula e José Martinho e aos Pais deles D. Serize e Sr. Manuel, Janeca e Carlos Sousa e claro a Avó Augusta, um amor de senhora, Lemos, Tomané e Fernanda, a Magy, o Lito,e a minha mulher vai-me desculpar eu sei, mas tenho de falar na Paula Mendes, foste o meu 1º amor mas não o último que é o mais importante, e tantos outros que por motivos tão diferentes não vejo desde há muito, lembrar também o Sr. Pinto da Cruz e o Cândido Ferreira, duas pessoas que também marcaram a minha vida, e peço desculpa se me esqueci de alguém, porque haveria com certeza muitos mais amigos.
Depois aqueles que realmente são importantes para mim, por quem dava a vida:
Laura foste o acontecimento do século para mim, sem ti não era a pessoa que hoje sou, e não preciso dizer mas digo que te amo cada vez mais, apesar de tu, ainda longe dos 50 já estares uma resingona.
Depois os filhos, Inês, Pedro e Marta, apesar de muito barafustar convosco, sabem que estou sempre ao vosso lado e que daria a minha vida por qualquer um de vós.
Um agradecimento especial à Sogra Marieta, além de me ter proporcionado em vida uma filha maravilhosa, deu-me a oportunidade de conhecer uma mulher fantástica e estou-te grato por isso., Tens uma força de vida enorme, com histórias fantásticas de alegria e tristeza, de muitas dificuldades e tempos dificeis, os Alemães ainda procuram aquela garotinha que lhes lixava os carros, em plena guerra na Holanda, por isso cuida-te, e fica entre nós por muito tempo.
Aos meus pais, pai tenho saudades tuas, aos meus irmãos, Catarina estás no meu coração sabes disso, aos gémeos Mário e Nuno, à Vanda Rafeiro (tá na tua hora olha os 60 aí).
A todos vocês dedico talvez a única coisa que vos poderei deixar, a minha forma de ver a arte e de passar para as telas os meus Cinquenta anos de Vida.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O Orgulho de um Pai

Desde Março que nada acrescentava a este blog, apenas e só porque tb não tenho pintado, ou porque nada de muito relevante tenha acontecido, no entanto hoje é um dia especial, não porque tenha pintado algo, motivo principal deste blog dedicado á Arte, mais propriamente à minha pintura, mas apenas e só, porque o Orgulho de ser pai, enche-nos o peito de alegria, e qualquer lugar, qualquer tema é bom para escrever sobre isso.

Hoje é um dia especial.

Hoje Inês, confirmaste todo o teu potencial, que desde cedo começaste a mostrar.
19 Valores numa Tese de Mestrado em Engenharia do Ambiente, não deve ser para qualquer um.
Receber os parabéns do Presidente do Juri dizendo que era uma Tese "quase perfeita" (O Murcão devia ter dado 20) e convidando-te para escreveres em Revistas Cientificas da Especialidade, não é para qualquer um.

Lutaste por este dia e conseguiste.

Ontem por volta da uma da manhã, disse-te que estivesses tranquila, que ía correr tudo bem, só precisavas de ser tu própria, só tinhas de ser a Inês de sempre, aquela Inês que desde cedo colocava tudo por "ordem", e que se conseguisses ser a Inês de sempre, terias o teu dia de Brilho.


Agora no final da manhã, após teres terminado a Defesa da Tua Tese, confirmou-se que Brilhaste, e ao brilhar, encheste de orgulho os teus Pais, os teus Irmãos e a tua Boadrasta, que tanto torceram por ti.
Já tive oportunidade de dar os parabéns á tua mãe, pelo excelente trabalho que fez contigo. Fez de ti uma mulher linda, responsavel e com objectivos na vida, e estou-lhe grato por isso.

De mim, sabes que apesar da distância a que a vida nos obrigou a estar, e apesar de nem sempre te dar o apoio que precisavas e merecias, sempre estive contigo, sempre te apoiei, e sempre te amei, muito, muito mesmo.



Agora, uma nova fase da tua vida começa, o futuro é teu, está aí ao teu alcançe, e como sempre, estaremos sempre a torcer por ti.

Faz o favor de ser feliz, tens tudo para o conseguir.

Adoro-te muito, e não me contenho em lágrimas de felicidade pelo teu sucesso.




Parabens Inês.


Dady, Laura, Pedro e Marta

sábado, 1 de março de 2008

Casario

Óleo sobre Tela
120 x 80 x 8
Janeiro 2008
Não para Venda

Oferecido em 2 de Maio de 2008 ao meu melhor amigo, Carlos Sousa no seu 51º Aniversário.
Amigo do peito daqueles que já não se fabricam. Também ele "filho do Bairro Marechal Carmona" das Cx. Previdencia, e antigo jogador da bola na Briosa. Aqui nesta foto com a esposa, Maria João Sousa, mais uma "filha do Marechal Carmona" na Pedro Álvares Cabral, na minha exposição de Pintura em Setembro de 2007 na Maia. Bem hajam por serem meus amigos, e por serem ambos execelentes pessoas.

sábado, 13 de outubro de 2007

Exposição de Pintura

Terminou hoje a minha 1ª Exposição de Pintura.
A todos os meus amigos e amigos de amigos que me deram o prazer das suas visitas e das amáveis palavras de apoio, encorajamento e votos de sucesso que me deixaram, a todos o meu muito obrigado.

Também àqueles que não conseguíram pelos mais variados motivos estar presentes durante estas duas semanas, mas que tiveram a amabilidade de me telefonar e ou enviar mail's tentando saber como estava a decorrer a Exposição, quero agradecer. Estou certo de que terei oportunidade de voltar a expor e certamente poderão nessa altura estar presentes.

Aos amigos que convidei, e que certamente pensavam que o convite entregue, pressupunha irem à Exposição de livro de cheques na mão, e que nem apareceram nem se interessaram em saber como decorria a mesma, chego com esta idade à triste conclusão de que a palavra amizade é cada vez mais vaga e sem fundamento.

Não perceber que se tratava de um momento especial e de que a sua presença e apenas a sua presença era importante para mim, demonstra uma total "infidelidade" ao sentido que dava à palavra amigo.

Todos os dias da nossa curta vida se aprende ! Nesta Exposição aprendi muito, e não tendo sido uma grande exposição, foi de facto um momento muito bom na minha vida.

Vou continuar a pintar, estou cheio de ideias e as muitas manifestações de apoio de muitas pessoas que me visitaram, dão-me ânimo para seguir em frente.

À minha família que tanto me apoiou e incentivou não preciso de agradecer, já sabem o que penso.

A todos o meu muito obrigado
Pedro Sarmento

sexta-feira, 12 de outubro de 2007



Sociedade

Pintura no Fórum Jovem
2007-10-12 - AMM

A sala de exposições do Fórum Jovem recebe até Sábado uma exposição colectiva de Amélia Carneiro e Pedro Sarmento.

Na mostra estiveram disponíveis cerca de duas dezenas de telas dos dois pintores.

A maiata Amélia Carneiro é docente de Educação Musical e portanto, é a Música que serve de grande inspiração à autora, juntamente com os livros e as pessoas. Os sons, as experiências pessoas e as relações humanas são as grandes fontes de onde a autora retira a motivação para a pintura que desenvolve como hobbie.

Já Pedro Sarmento é autodidacta desde 2001 e vê a Pintura como uma forma de passar as ideias para a tela. Os amigos e a família são as grandes inspirações para as obras expostas, nesta que foi a primeira exposição pública do autor.

sábado, 29 de setembro de 2007

Exposição de Pintura

O anfitrião abre o Porto de Honra dando as boas vindas aos artistas e amigos.

O brinde da família e amigos ao sucesso dos artistas.


As telas expostas - Segundo os visitantes, uma agradável surpresa.




sexta-feira, 28 de setembro de 2007

EXPOSIÇÃO COLECTIVA DE PINTURA DE AMÉLIA CARNEIRO E PEDRO SARMENTO



amliacarneiro.jpgA Sala de Exposições do Fórum Jovem da Maia acolhe a partir do próximo dia 28 de Setembro, sexta-feira, a Exposição Colectiva de Pintura de Amélia Carneiro e Pedro Sarmento, numa iniciativa do Pelouro da Juventude da Câmara Municipal da Maia.

Serão exibidas cerca de duas dezenas de telas numa mostra que inaugura, com vernissage, ás 21h30 e que estará patente ao público até ao próximo dia 13 de Outubro.

AMÉLIA CARNEIRO
Natural da Maia, Maria Amélia Matos Carneiro é docente da disciplina de Educação Musical desde 1984 e frequentou o Atelier de Francisca Esquivel para a prática da pintura. Da sua antiga e eterna paixão pela música, pelos livros e pelas pessoas, surgiu o gosto pela cor e a sua associação a eles. Os sons, as experiências pessoais, as relações humanas, são regra geral a sua motivação e fonte de inspiração para a pintura, actividade que desenvolve como hobbie.

PEDRO SARMENTO
Residente na Maia, António Pedro Nunes Sarmento dos Santos, artista plástico autodidacta desde 2001, tem a pintura como forma livre de passar para a tela as suas ideias. Motivado pelos amigos e pela família esta é a primeira vez que retira das paredes a sua obra e que a expõe ao público em geral.

Endereço: Fórum Jovem da Maia
Contacto: 22 947 81 20
www.cm-maia.pt

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Bailado Tropical



Óleo sobre Tela - 1000 x 700
Setembro 2007

sábado, 8 de setembro de 2007

Rumos



Óleo e Pastel sobre Tela - 700 x 500
Setembro 2007
VENDIDO

Olhar Colorido


Óleo sobre Tela 1000 x 800
Setembro 2007

terça-feira, 7 de agosto de 2007

SUPERFÍCIE LUNAR


Oleo S/Tela 1000 x 700
Julho 2007
VENDIDO

Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

António Gedeão

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Homenagem a Mark Rothko



Óleo s/tela - 800 x 400

“O silêncio é o mais acertado”. Era desta forma que Mark Rothko, um dos artistas mais importantes do século XX, respondia quando lhe pediam para falar das suas pinturas. Temia que as suas palavras paralisassem a mente e a imaginação do espectador. Acreditava que uma imagem abstracta representa directamente a natureza fundamental do drama humano."

Mark Rothko
(America, born Russia, 1905-1970

Orange and Yellow, 1956
Oil on canvas, 91 x 71"
Collection Albright-Knox Art Gallery
Gift of Seymour H. Knox, Jr., 1962

terça-feira, 31 de julho de 2007

Manta Alentejana



Óleo s/ Tela - 700 x 500 - 2007

Tudo é tranquilo e casto e sonhador...
Olhando esta paisagem que é uma tela
De Deus, eu penso então: Onde há pintor
Onde há artista de saber profundo,
Que possa imaginar coisa mais bela,
Mais delicada e linda neste Mundo?
No meu Alentejo
Florbela Espanca

Jardim de Outono



Óleo S/ Tela - 1000 x 500

"Ouve a voz que te chama.
Sente as mãos que o sustentam e vê a luz que reflecte.
Segue o teu caminho.
Algo te espera e te chama para despertar.
Alguém está a olhar para ti.
Enxuga as lágrimas que a dor do teu coração faz reflectir.
E deixa a alegria chegar.
A VIDA É UM CAMINHO,
Faz dela um jardim para que tudo,
FIQUE FLORIDO“

sábado, 28 de julho de 2007

A Vida é um Labirinto


Óleo s/Tela 1200 x 800 - 2004

Inventámos a linha recta e queremos que nossa vida seja uma linha recta.
A Vida não é geometria, mas uma farra de formas.
Há coisa mais monótona do que o corredor?
Ele é óptimo para as correntes de ar e os fantasmas.
A vida é um labirinto cheio de passos e de impasses.
A vida é o caos que o homem tenta inutilmente disciplinar.
Só o caos é criativo.
A ordem produz rotinas e é repressora do inédito.
Quando o caos se cansa, vira ordem.

Valter da Rosa Borges
http://www.pensador.info




Jardim Imaginário



Óleo sobre Tela - 1500 x 90 - 2007

Perdoem-me, demorei a chegar, por falta de sol.
Hoje, se falo de jardins, é para resistir. Para, num desses lugares dentro da memória, esconder-me do frio, deste Maio mentiroso que atrasa a primavera.
Quando penso em jardins, prefiro sempre pensar em qualquer coisa de fantástico, uma Alice minúscula perdida no meio destas flores lindas e coloridos, lagartas que falam e se passeiam entre estranhas plantas, um mundo estranho a pulular de vida.
Preferia habitar um Jardim assim, Imaginário.
Porque aqui é possível amar, reaprender o amor… aqui, vi pela primeira vez a ponta do abismo que escalava.
Aqui, neste fantástico Jardim Imaginário.


Texto escrito por R.M


sexta-feira, 27 de julho de 2007

Estado de Espirito


Tela 500 x 700
Tinta esmalte sobre Tela
2003

Sem Destino

Tela 600 x 900
Tinta Esmalte sobre Óleo s/Tela
2007

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Aquecimento Global


Óleo sobre Tela 900 x 900
2007

Uma mistura de cores que nos atira o pensamento para o problema enorme que são as alterações Climáticas em que as estações do ano estão cada vez menos definidas, em que as cores habituais de cada uma delas aparecem nas outras Estações do ano.
Um quadro dedicado a Filhota Inês que aos 22 anos e a terminar Engenharia do Ambiente, se bate como poucos pelos problemas desta bola chamada TERRA.

Beijos para uma grande FILHA.

terça-feira, 24 de julho de 2007

Primavera



Óleo sobre tela - 1000 x 1200
2007
c/pequenas aplicações de areão colorido

domingo, 10 de junho de 2007

Hided Smart

Óleo sobre Tela - 900 x 600 - 2004 Vendido - 2003

Mar Revolto

Óleo sobre Tela - 170 x 90 - 2003
Deitada na cama, penso em ti que me olhas, sedenta de tuas mãos em meu corpo, da tua boca na minha do teu corpo quente sobre o meu como são nossos corpos quando estão juntos E pela minha cabeça passam os mais devassos pensamentos possíveis
Mato a minha sede no mar salgado da tua pele. És a fonte de todos os meus prazeres. Teus lábios são mel que escorre para os meus. A língua sinto-a como um chicote de fogo que me sacia o desejo.
Os dois corpos são um mar azul, Mar Revolto. Uma sedução devassa que alimenta este desejo quente, doce e terno que nasceu de um poema e se transforma a cada dia na mais bela poesia que nenhum poeta sabe escrever.
Quando Penso em ti, encho de sonhos os braços, acendo os meus desejos, apago em mim os cansaços, espalho rimas no chão, recolho versos e danças, esqueço a nuvem escura, lembro frescas madrugadas, adormeço dúvidas, incertezas, acordo as minhas esperanças, silencio trovoadas, abro a alma à ternura, cerro os olhos da tristeza.
Pensando em ti pinto o céu azul de poemas, escrevo AMOR em letras tristes, elevo-me no infinito deitada na cama, penso em ti e descubro que existes, Mas não para mim.
Texto por: RazãoDoVazio

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Ideias Actuais

Tela 1000 x 700 - Óleo e Tinta Esmalte sobre Tela
2007

terça-feira, 22 de maio de 2007

Fim do Mundo


Pintura a óleo sobre tela 600 x 500
2001 - Vendido

O dia adormece, suavemente sobre os braços da noite.
Num instante as sombras absorvem as formas e apenas pequenos pontos de luz salpicam o espaço.
A Lua, rasga o horizonte, avermelhada como o fogo que a faz brilhar.
O meu corpo despido, sente o calor do teu, que a um milímetro espera e deseja por ser tocado.
Os meus olhos, cruzam o teu olhar, e por momentos, deixamo-nos ficar, parados, suspensos no tempo, sentindo apenas a proximidade, sentido apenas os espaço em redôr, sentindo-nos.
Num ritual de magia, estendo os meus dedos em direcção à tua face, parando antes de te tocar.
Percorro todos os declives e curvas que fazes, como se tivesse asas e voasse sobre a tua pele.
Sentes o calor da minha mão, que se envolve em ti, sentes os dedos, de uma forma imperceptivel, roçar sobre ti, estremeçes.
Sem nunca deixar de te olhar, aproximo a minha boca da tua, deixo-me ficar, um instante antes do beijar.
Sinto o calor que vem da tua alma, espalhar-se sobre o meu peito. Sinto o desejo que clamas, quando o meu corpo toca o teu.
O silêncio encheu-se de músicas suaves, e entrelaçamo-nos como peças de um puzzle que se encaixam, formando uma só figura.
Sob o olhar de mil sois, permanecemos abraçados, na noite, enquanto a Lua nos contempla, quais amantes perdidos no tempo, até que o dia regresse para nos despertar...
Como se o mundo...fosse acabar...

Texto por: RazãoDoVazio

Formas Geométricas


Pintura a óleo sobre Tela em 4 Telas unidas 600 x 600
2002

Lavadeiras


Pintura a óleo sobre tela 600 x 500
2002 - Vendido

Lady

Pintura a óleo - 600 x 1200 - 2005
Fiz-te mulher...

Era já madrugada, o meu corpo dormia sobre a cama, a minha alma esperava-te sobre o umbral do tempo, a brisa do vento da tarde alertara-me para a tua chegada, pois com ela transportava o perfume da tua essência.
Ali sentado, peguei nas tintas, e sobre a tela, imaculada, deixei que as minhas mãos criassem. Chegaste, sobre a forma dum desenho, brotaste de dentro de mim, como uma criação, e, ali estavas, olhando-me.
O teu corpo sensual, soltou-se da tela onde nascera e fez-se mulher, o teu olhar, que fixava o meu, invadiu-me, senti o inconfundível perfume da tua pele, os teus cabelos roçaram suavemente a minha face e finalmente, ancoraste em mim. Os meus dedos, sedentos de ti, percorreram cada curva desenhada, cada detalhe, a minha boca, devorou-te, tentando absorver cada pedaço de ti.
Hoje, acordaste na minha tela, e eu de olhos fechados, fiz-te mulher.

Amanheceste comigo.
Texto de: RazãoDoVazio

Feminino

Pintura a óleo sobre tela 500 x 700
2003 - Vendido

Jogo

Prazer Imenso


Pintura a óleo sobre tela 600 x 800
2003 - Vendida

Caminhos Cruzados


Pintura a óleo sobre Tela 800 x 600
2003 - Vendida